Museus e Centros de Ciências itinerantes: resgatando sua história no país

Utilize este link para referenciar este recurso externamente: https://canalcederj.cecierj.edu.br/recurso/16878

  • Título: Museus e Centros de Ciências itinerantes: resgatando sua história no país
  • Autor(es): Jessica Norberto Rocha e Martha Marandino
  • Instituição: Fundação Cecierj
  • Área: Divulgação Científica
  • Disciplina: Artigos
  • Tipo: Documento
  • Nome original do arquivo: Museus historia.pdf
  • Tamanho: 697.8 KB
  • Data: 31/08/2017
  • Código do Recurso: 16878
  • Descrição: Os museus e centros de ciências são fontes importantes de conhecimento e vêm contribuindo para o aprimoramento da cultura científica, para a educação em ciências e, consequentemente, para a percepção pública sobre o papel da CT&I no desenvolvimento científico e tecnológico do país. Entretanto, no Brasil as visitas ainda são muito reduzidas. Mas, se as pessoas não vão aos museus, os museus vão a elas. Este é papel dos museus e centros de ciências itinerantes. Atualmente, segundo o levantamento da ABCMC (2015), são 32, dentre eles, o Ciência Móvel – Vida e Saúde para Todos da Fundação Oswaldo Cruz, a Caravana da Ciência da Fundação Centro de Ciências e Ensino Superior a Distância do Estado do Rio de Janeiro (Fundação CECIERJ); o Museu Itinerante PONTO UFMG da Universidade Federal de Minas Gerais e o Projeto de Museu Itinerante do Museu de Ciências e Tecnologia da PUC/RS. Eles surgiram como alternativa para enfrentar o desafio da divulgação científica descentralizada dos núcleos urbanos e têm sido responsáveis pelo atendimento de um grande número de público. No presente trabalho, que é parte de uma pesquisa de doutorado em Educação - Ensino de Ciências, faremos uma retomada histórica desses projetos no país. Abordaremos as influências internacionais, as primeiras iniciativas no Brasil, como o Museu Itinerante José Hidasi para a popularização das ciências biológicas, e o Edital “Projeto Ciência Móvel” da Academia Brassileira de Ciêncie e do Ministério de Ciência e Tecnologia de 2004, que institucionalizou a ideia no país. Em paralelo, discutiremos alguns desafios para a divulgação científica itinerante.
© Canal Cederj 2019