INTEGRANDO A PERCEPÇÃO DE ESTUDANTES À CRIAÇÃO DE PEÇA TEATRAL: UMA ALTERNATIVA DE EDUCAÇÃO CIENTÍFICA EM DIÁLOGO COM AS ARTES.

Utilize este link para referenciar este recurso externamente: https://canalcederj.cecierj.edu.br/recurso/16854

  • Título: INTEGRANDO A PERCEPÇÃO DE ESTUDANTES À CRIAÇÃO DE PEÇA TEATRAL: UMA ALTERNATIVA DE EDUCAÇÃO CIENTÍFICA EM DIÁLOGO COM AS ARTES.
  • Autor(es): Thelma Lopes Carlos Gardair; Virgínia Torres Schall
  • Instituição: Fundação Cecierj
  • Área: Divulgação Científica
  • Disciplina: Artigos
  • Tipo: Documento
  • Nome original do arquivo: DO 2008 - Thelma Lopes Carlos Gardair (1).pdf
  • Tamanho: 12.5 MB
  • Data: 04/07/2017
  • Código do Recurso: 16854
  • Descrição: Tese de Doutorado - O presente estudo aborda aproximações entre ciências e teatros, suas possíveis
    relações com a educação em ciências, e o papel potencializador da linguagem
    teatral na construção de imagens menos estereotipadas do cientista e artista. A
    pesquisa também explora o estímulo ao debate sobre temas científicos, articulado
    a outros saberes, voltado a estudantes do ensino fundamental e médio. Dentre os
    principais objetivos desta tese destacam-se: a) Análise das percepções dos
    sujeitos pesquisados acerca da imagem do cientista, artista e sobre noções de
    artes e ciências; b) Desenvolvimento de peça teatral, baseada em dados obtidos
    por meio de questionários e pesquisa histórica, que consista em estratégia
    educativa voltada para discussão sobre ciências articulada às artes; c) Análise
    dos efeitos da peça junto aos participantes da pesquisa. Para tanto, 226
    estudantes responderam questionário, categorizados em três grupos, a saber:
    jovens artistas, jovens cientistas e alunos de escolas públicas. O grupo por nós
    chamado de “jovens cientistas” é composto por estudantes da “Escola Politécnica
    de Saúde Joaquim Venâncio” (EPSJV) e alunos que integram o “Programa de
    Vocação Científica” (PROVOC). Na presente pesquisa o grupo de “jovens artistas”
    é composto por estudantes que participam de atividades relacionadas à
    linguagem teatral em duas instituições, a saber: “Casa das Arte de Laranjeiras”
    (CAL) e “Colégio Salesiano Santa Rosa”. Um terceiro grupo integrou nosso
    estudo e compôs-se de estudantes que não estavam vinculados a instituições
    educativas, programas ou atividades voltadas para o desenvolvimento de
    aptidões artísticas ou científicas. Este grupo foi formado por alunos da “Escola
    Estadual Amaro Cavalcanti” e do “Collège Jean Jaures”. Ambas as instituições
    são públicas. A primeira localiza-se no bairro do Largo do Machado, no Rio de
    Janeiro, e a segunda na cidade de Montreuil, na França. As respostas foram
    interpretadas à luz do método de “análise de conteúdo”, sistematizado por
    Laurence Bardin (1978). Os fundamentos para a escrita da peça foram,
    principalmente, pesquisa histórica e dados obtidos a partir dos 226 questionários.
    A trama da peça “Toda menina é uma rainha” consiste na aventura de dois
    adolescentes ávidos por conhecer o mundo e a si mesmos, que ao remexerem
    em antigos livros, transportam-se para o século XVI, em 1582, na Inglaterra, onde
    vivenciam o cotidiano da época, tornam-se amigos da rainha e presenciam um
    inusitado encontro entre Galileu Galilei e William Shakespeare. Como estudo
    piloto dos efeitos da peça junto ao público alvo da pesquisa, foram realizados dois
    encontros nos quais desenvolveu-se jogos teatrais, exercícios de aproximação
    aos temas explorados na peça e preenchimento de questionários. Culminando
    com a leitura dramatizada da peça, os referidos encontros possibilitaram a
    identificação de qualidades e limites do texto como ponto de partida para a
    discussão sobre ciências.
© Canal Cederj 2019